terça-feira, junho 12, 2007

Um dia... (II)

Araucária-de-Norfolk [Araucaria heterophylla (Salisb.) Franco] - Alcantarilha


Iniciei, no outro dia, uma espécie de rubrica que poderia ter intitulado como "a minha selecção de esperanças".

Por outras palavras, pretendo mostrar imagens de algumas árvores, que não possuindo ainda um porte monumental, apresentam um vigor e um desenvolvimento harmonioso, que faz antever poderem vir a ser exemplares magníficos dentro de alguns anos. Quem sabe mesmo, um dia virem a ser dignas de ostentar uma classificação como árvores de interesse público.

Tal parece-me ser o caso desta araucária [Araucaria heterophylla (Salisb.) Franco], situada à beira da N125 em Alcantarilha (do lado direito da estrada, alguns metros antes do cruzamento para Armação de Pêra, no sentido Lagoa-Albufeira).

Vão por mim, dentro de 20 a 30 anos, se tiver os deuses do seu lado, esta araucária dará que falar.

P.S. - Visualizar aqui dois exemplares desta espécie situados em Monchique, ambos classificados como árvores de interesse público.

2 comentários:

Ver disse...

Eu acho que uma árvore a classificar de interesse público não tem obrigatóriamente de ser monumental. Uma árvore jovem pode e deve em muitos casos ser considerada de interesse público.

Pedro n. t. santos disse...

De facto, assim deveria ser; o problema é que muitas vezes as árvores se situam em terrenos privados (como esta) e ficam um pouco sujeitas à maior ou menor sensibilidade do proprietário para estas questões.

É preciso notar que os portugueses têm uma relação um pouco complicada com o Estado; e tenho a sensação de que muitas pessoas temem a classificação de árvores que estejam nos seus terrenos pois é como se "cedessem" ao Estado uma parte do seu património...penso que os serviços do Ministério da Agricultura e outros organismos do estado (da área do ambiente) deveriam ajudar a desmistificar estas situações.

E acresce que por vezes é o Estado a dar o mau exemplo; tanto quanto me recordo de ler no "Jornal do Fundão", há uns anos foi abatido o maior lódão-bastardo do país que se situava à beira da N18 (junto a Alpedrinha, Fundão) pela ex-JAE. Isto é, por um lado existem serviços do Estado com a função de proteger as árvores, enquanto outros se "entretêm" a destruí-lo!