quarta-feira, junho 20, 2007

Tesouros da Gardunha

Asphodelus bento-rainhae P. Silva

O leitor deste blogue e estudioso da Gardunha, Albano Matos, enviou-me estas fotografias da Asphodelus bento-rainhae P. Silva, conhecida vulgarmente como: abrótea, abrótega, gamão ou bengala de S. José.

A abrótea é um endemismo lusitano que ocorre apenas na vertente norte da Serra da Gardunha, no sub-bosque de carvalhais de Quercus pyrenaica Willd. e Quercus robur L. e, ocasionalmente, em bosques de castanheiro (Castanea sativa Mill.) e em taludes de pomares de cerejeira (Prunus avium L.).

Asphodelus bento-rainhae P. Silva

A abrótea é uma espécie em perigo (actualmente em clara regressão) e, cada vez mais, reduzida a núcleos fragmentados.

As principais ameaças à sua conservação resultam da destruição do seu habitat, em virtude de:

- exploração florestal com resinosas [Pinus pinaster Aiton e Pseudotsuga menziesii (Mirb.) Franco];
- incremento das áreas de matos em virtude de incêndios florestais;
- ocupação por espécies invasoras, em particular a mimosa (Acacia dealbata Link);
- expansão dos pomares de cerejeira e utilização de produtos herbicidas;
- expansão urbana.

Asphodelus bento-rainhae P. Silva


A ocorrência desta espécie contribuiu decisivamente para a integração do Sítio Classificado Serra da Gardunha na Rede Natura 2000.

(ler aqui mais informações sobre esta espécie).

5 comentários:

Anónimo disse...

Abrótea é um peixe, mô!!
Qué isse!?, debe.

MaD disse...

Ainda se podem ver alguns espalhados aqui pela Serra de Monchique, onde os conhecemos por gamões.
Desconhecia que estão em perigo de extinção.
Cumprimentos.

Pedro n. t. santos disse...

Caro Mad,

Os gamões de Monchique devem ser de outra espécie, nomeadamente Asphodelus ramosus ou A. serotinus, já que a Asphodelus bento-rainhae só existe mesmo na Gardunha.

Não sei se conhece, mas o ICN editou há uns anos um livro sobre a flora de Monchique; entretanto acho que esgotou e que não foi reeditado. O que é uma pena pois era muito rigoroso e servia para, por exemplo, esclarecer estas dúvidas.

Abraço

Paulo disse...

Também me parece que os Asphodelus que se vêem no Algarve são de outra variedade. Não conhecia esta da Gardunha. Obrigado.
Abr.

Susana disse...

Olá dizem que existem três Asphodelus e é verdade mas a mais bonita é da nossa Serra da Gardunha que é onde eu vivi, e aconselho-vos a vir há Festa da Cereja em Alcongosta e alguma vez provaram pão de cereja ou argolas de cereja? Se não venham a esta festa e tentem encontrar uma casa chamada 1001 cereja.
Mas só existe na festa da cereja que é de dia 15 até 17 de junho!
APAREÇAM!