segunda-feira, março 26, 2007

Azinheira monumental em Benafim

Azinheira (Quercus rotundifolia Lam.)

Esta azinheira monumental, situada à beira da N124 na localidade de Benafim (concelho de Loulé), é um amor já com três anos.


No entanto, apenas ontem tive a oportunidade para, juntamente com o meu colega caçador de árvores, Miguel Rodrigues, a fotografar e medir.


Os dados que obtivemos foram impressionantes:

- Perímetro do tronco à altura do peito (P.A.P.) = 2,9 m;

- Altura da árvore = 15,5 m;

- Diâmetro da copa = 20,7 m.


Nota: os valores de diâmetro da copa são sempre menos rigorosos do que os do P.A.P. e altura; o que fizemos foi seguir o procedimento que nos foi aconselhado por um engenheiro florestal da Direcção-Regional de Agricultura do Algarve.
Este método consiste em medir, deslocando-nos do tronco para a periferia, aquele que nos parece ser o maior e o menor valor do raio da copa e depois obter a média. Com esse valor calcula-se um diâmetro e um perímetro da copa (partindo do princípio que esta é aproximadamente circular).



P.s. - Para que se tenha um termo de comparação, as últimas medições conhecidas para a azinheira classificada de S. Brás de Alportel, são os seguintes:


- Perímetro do tronco à altura do peito (P.A.P.) = 4 m;

- Altura da árvore = 15 m;

- Diâmetro da copa = 25 m.

4 comentários:

Anónimo disse...

Bellissima!
Vou ver est arvore em Maio, quando tem férias perto Sao Bras.

Obrigado pelo este poste.

Um amigo de Estrela e de Portugal

Ana Ramon disse...

Fiquei bastante admirada com o que referes aqui. Nunca supus que uma azinheira pudesse atingir uma dimensão destas. Lá vou ter que passear por esta zona para a poder admirar e fotografar. Desejo as maiores felicidades para ela e para ti também :))

Pedro n. t. santos disse...

Azinheiras como estas seriam sempre excepcionais, mas exemplares como estes poderiam ser um pouco mais frequentes, se também as azinheiras não fossem podadas de forma tão radical; este fenómeno não se restringe ao espaço urbano e a verdade é que, nomeadamente no Alentejo, os sobreiros e as azinheiras têm um aspecto "mirrado", não tanto pelas agruras do clima mas pelas podas que sofrem (penso que no caso das azinheiras terá a ver com a estimulação da frutificação, pois a bolota é um importante complemento da dieta de muitos animais, como o porco preto;e, em anos de muita seca, penso que também permitem a poda para alimentar animais com as ramadas).

De qualquer forma, estas azinheiras, como a de Benafim e a de S. Brás,seriam sempre excepcionais! Também convém sublinhar que, ao contrário do que muita gente pensa, a azinheira não é exclusiva do Sul e aparece no Centro (parte mais interior e seca dos distritos de C. Branco e Guarda) e também a Norte (em grande parte de Trás-os-montes).

Espantado fiquei eu com as azinheiras enormes que encontrei na Irlanda; por lá, é utilizada como ornamental e apesar de estar bem adaptada à secura, pelos exemplares que encontrei, também não se parece dar nada mal por lá!

Felicidades!

Anónimo disse...

actualmente debaixo da Azinheira, está um parque de merendas enorme.