terça-feira, janeiro 09, 2007

Não há amor como o primeiro

Ao longo dos anos vamos encontrando árvores que não esquecemos; talvez a que mais me impressionou até hoje tenha sido a magnífica árvore da borracha (Ficus macrophylla Desf. ex Pers.) do Jardim Botânico de Coimbra.



No Algarve, o meu primeiro grande amor foi a azinheira (Quercus rotundifolia Lam.) de S. Brás de Alportel, exemplar classificado desde 1942 e com cerca de 15 m de altura, mais de 4 m de perímetro à altura do peito e uns impressionantes 25 m de diâmetro de copa.




Façam-se à estrada para a contemplar...não será tempo perdido!

2 comentários:

ljma disse...

Caramba, que grande e bela árvore!

Pedro n. t. santos disse...

É de facto uma azinheira espectacular; já semeei umas bolotas desta árvore mas as azinheiras acabaram por secar...