terça-feira, julho 31, 2007

Uma vila de interesse público



Imaginemos uma vila nas faldas da Serra da Estrela, cujos campos mantêm o verde no pico do Verão e onde o som das águas que correm na ribeira é o suficiente para nos refrescar do calor.

Essa vila, quase de conto de fadas, existe e chama-se Unhais da Serra.



Unhais da Serra fica a 20 km da sede de concelho, a Covilhã. É uma vila que merece figurar no roteiro de todos os que gostam de árvores e, em particular, de plátanos.

São dezenas, dezenas de plátanos, que formam duas alamedas, a primeira ao longo da N230 que atravessa a vila e a segunda ao longo do caminho que conduz às instalações termais.

Por ventura, individualmente nenhuma destas árvores mereceria referência face a exemplares classificados, mas o conjunto é soberbo e deixa-nos quase sem adjectivos. Chegamos a duvidar estar em Portugal, num país onde as árvores (e sobretudo os plátanos) são tão maltratados.

É esse conjunto que é magnífico e merecedor de classificação. Abençoadas gentes, abençoada vila...abençoadas árvores.

As fotografias, sem mais comentários, estão longe de lhes fazer justiça...























P.S. - Claro que estas árvores não estão a salvo; por todo o lado, há quem se incomode com a sombra e Unhais não deverá ser excepção. Por esse motivo, vou escrever uma carta ao presidente da Junta de Freguesia de Unhais da Serra a apelar à sua conservação e a que proponha, inclusivamente, a classificação deste conjunto de plátanos como árvores de interesse público.

13 comentários:

Paulo disse...

Avance com a carta, Pedro. Sabemos que há muita gente com medo da sombra das árvores. E se os senhores das motosserras vêem este post, começam a esfregar as mãos.

Ana Ramon disse...

Impressiona verem-se tantas árvores com este porte e num local tão reduzido. De vez em quando têm-se agradáveis surpresas, como esta. Obrigada por partilhares connosco estas fotos soberbas. Deste-nos um momento de muito prazer.
Um beijinho

TPais disse...

Pedro, eu subscreveria essa carta!
Talvez não fosse má ideia pensar numa coisa semelhante a uma petição!
Conheço Unhais e tenho perfeita noção do património que aqui referes.
Abraço

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Vamos começar pela carta e mediante a resposta veremos que mais pode ser feito. Também irei falar com outras pessoas e, dentro do que eu puder fazer, o assunto não ficará esquecido.

Afi disse...

Também podem contar comigo se necessário. É só lembrar-me através de um comentário no meu blog.

Anónimo disse...

Por estes dias,estes belos plátanos, vão ser cortados.25 pelo que dizem.É o preço do progresso.Um preço muito elevada.

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Caro "anónimo":

Obrigado pela informação...vou ver se ainda será possível fazer algo para evitar que tal venha a acontecer.

helder disse...

sou de unhais meu amigo ainda existem muitos platanos..mas as palavras nao levam a nada pois se a junta dicidir cortar eles cortam e nao se importam com as sombras ...quando os senhores das motoserras chegarem para cortar os platanos devia era tocar-se o sino da igreja e a propria gente de unhais nao devia autorizar tal brutalidade.....

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Caro Hélder,

Estive no Verão em Unhais de propósito para tirar estas fotografias; para quem como eu tem um amor por árvores foi como, adorando chocolates, ter ido a uma fábrica de chocolates.

Sobretudo porque, no nosso concelho, muitos dos plátanos que foram plantados na mesma altura já desapareceram...os do Canhoso eram similares a estes e assisti ao seu massacre; o mesmo aconteceu a outros que se situavam entre o Canhoso e o Teixoso e, nos últimos anos, entre a Covilhã e o Tortosendo.

Por tudo isto, vim de lá não apenas encantado com os plátanos mas sobretudo com as gentes de Unhais; porque só um povo que compreende a importância das árvores poderia ter permitido que estas sobrevivessem até aos dias de hoje.

Claro que os "boatos" de que a ampliação das termas levaria ao abate de alguns plátanos não são de agora. Acho que esta nova fase das termas vai trazer um turismo de qualidade ao nosso concelho e ter um impacto económico muito positivo na freguesia e no concelho.
No entanto, creio que seria de todo o interesse para o complexo termal manter este património natural de valor incalculável.

o Sr. António Santos da Assembleia Municipal de Unhais, que tem deixado uns comentários neste blogue e no "Cântaro Zangado", garante que não existe mesmo nenhuma alternativa e que serão cortadas apenas as árvores estritamente necessárias.

Não sou engenheiro e não sei se de facto não existe outra alternativa para a estrada de acesso às termas ou se é apenas a solução mais económica.

Mas, se na sua opinião e de outros cidadãos de Unhais, essa alternativa existe, então o meu conselho é apenas um...como a justiça neste país funciona mas num ritmo muito lento, recorram aos órgãos de comunicação social (nomeadamente às televisões). Contactem o programa "Biosfera" da RTP N ou a jornalista Carla Castelo da SIC (que é a responsável por assuntos do ambiente neste canal); ou ainda o "Regiões" da RTP que dá sempre destaque a questões locais.

Se acham que há alternativa ao abate dos plátanos não desistam da luta.

Um abraço

PTT disse...

"Roubei" uma foto inerente ao post para fundamentar um que acabei de fazer sobre este assunto.

Abraço

Estetik Fiyatları disse...

Muito bom site. Graças aos esforços do passado.

Anónimo disse...

Pena que com a nova estrada de acesso Q foi criada para o hotel se tenham cortado dezenas de plátanos. Viva o desenvolvimento! !!!!! :(

Anónimo disse...

Obrigada por esta reportagem. Infelizmente com todas as desculpas (algumas bem esfarrapadas)muitas têm sido abatidas e continuam a sê-lo.