domingo, setembro 23, 2007

Apaixonei-me por uma árvore!

Descobria-a no Flickr através de um texto dos amigos do Dias com Árvores; andava há um ano à sua procura...


Bem no mais profundo do Alentejo lá estava ela, como se sempre ali estivesse estado à minha espera...
Desculpem fazer-vos sofrer mais uns dias até revelar as imagens. A única coisa que vos prometo é que a espera vale a pena...como hoje valeu o passeio de quase duas horas sob 30ºC de sol alentejano só para a ver.

Todo o esforço é pouco por um grande amor.

9 comentários:

Paulo disse...

Já fui espreitar. Que monumento. Fico à espera que saia aí, no seu estado actual.

Um abraço.

Júlia Galego disse...

Não resisti e fui ver a azinheira. Nunca vi nada igual! É simplesmente espantosa. Percebe-se porque ficou apaixonado...
Abraço

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

A vossa curiosidade será recompensada... prometo!

Não apenas através de fotos mas também com a localização exacta da árvore.

Abraços

Ana Ramon disse...

Tal como o Paulo e a Júlia, não resisti e fui espreitar.
Fiquei impressionadíssima com a foto. Mas não matei a expectativa. Continuo a espreitar-te a ver quando publicas as tuas fotos.
Estamos todos aqui à espera. Despacha-te
:))))))))))
Um beijinho grande

Maria Lua disse...

Verdadeiramente impressionante!
Tal como os outros comentadores, também eu fico à espera da tua crónica sobre este gigante monumental.
E com muita curiosidade!
:)

TPais disse...

Bolas, mesmo depois dos "avisos" de espanto dos comentadores anteriores consegui ainda assim ficar de boca aberta quando vi a foto no flickr!!É mesmo grande!!

TPais disse...

Já agora, está classificada esta árvore?Não deveria estar?

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Obrigado pela vossa paciência, não se trata de "prazer" em fazer-vos sofrer de expectativa...mas antes para que fiquem com uma ideia do que é descobrir uma árvore quase "no meio do nada"!eheh :)

Tiago;

A árvore merece ser classificada; mas, pela listagem da Direcção-Geral dos Recursos Florestais, tal ainda não aconteceu; existe uma classificada na Herdade das Pias, em Mértola, mas trata-se de outra azinheira. É sempre mais complicado quando a árvore se encontra num terreno particular. Mas não ponho de parte tomar essa iniciativa...

Abraço

as-nunes disse...

Caro Pedro
Vim, num repente, do "dias-com-arvores".
Concordo plenamente que o amor pela Natureza vale tudo, mas mesmo tudo.
O que somos nós se desatinarmos completamente e não dedicarmos o máximo da nossa atenção a todas as formas de vida no nosso Planeta?
Malditos sejam todos os que assim não actuarem! Não têm direito a VIVER!
Tenho andado um tanto fora da blogosfera, mas vou estar atento à reportagem que por aí vem sobre essa Azinheira.
Talvez ainda hoje também coloque um post sobre uma rotunda de Leiria, essencialmente à base de Azinheiras. E eu que andei tanto tempo baralhado para distinguir azinheiras, sobreiros e alguns tipos de carvalhos.
Um abraço
António