sexta-feira, março 27, 2009

O assassinato de uma lagoa

Não está directamente relacionado com árvores. Mas, mesmo assim, há outros crimes perante os quais o silêncio é impossível.

Não são apenas as ribeiras...Também as lagoas, mesmo as que albergam uma biodiversidade assinalável, estão a saque. O negócio de privados como justificativo para um crime ecológico em nome do interesse público.



5 comentários:

Miguel Rodrigues disse...

Já agora, visitem também o vídeo de promoção do empreendimento no Youtube (http://www.youtube.com/watch?v=PFOf--Q-OAI) e, se acharem por bem, deixem o vosso comentário a quem usa a natureza num cínico slogam para promover um negócio e depois a trata desta maneira.

Anónimo disse...

Olá Pedro. Se não se importar vou divulgar este video no macloulé. Interesse público e do público. Sombra verde sempre na vanguarda.

Abraço
João Martins
macloule

Maria Lua disse...

O já habitual...
E alguém é responsabilizado por esse atentado?
Não, pois não...
:-(

Anónimo disse...

Esta situação deve ser participada criminalmente.

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Caro anónimo,

Esta situação, que é recorrente, é do conhecimento das autoridades pois dela têm dado eco algumas organizações ambientalistas portuguesas (como a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, SPEA, e a Almargem, Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental do Algarve).
A britânica RSPB (The Royal Society for the Protection of Birds) também tem referido o caso.
Para além disso, posso garantir-lhe que a comunicação social nacional também está a par da situação (embora este facto não anule a necessidade de divulgar a situação pelos canais próprios).

Claro que uma coisa é uma queixa no SEPNA, serviço da GNR para denúncia de crimes ambientais, ou uma denúncia junta das autoridades do Ministério do Ambiente, e outra coisa seria uma queixa juntos dos tribunais com base na violação de determinados preceitos legais.
Mas, sobre esta última parte, já me ultrapassa.

Obrigado.