quinta-feira, março 19, 2009

Monstros urbanos

Seguem-se imagens de uma cidade portuguesa. Um "Museu dos Horrores", um "Tratado do Disparate" no que concerne à manutenção das árvores ornamentais!

São 13 fotos, mas poderiam ser o dobro ou o triplo...






























A cidade é Braga. Na realidade, imagens como estas poderiam ser obtidas na maioria, para não dizer na totalidade, dos concelhos do nosso país.

É igualmente verdade que este problema da falta de qualidade na manutenção das árvores em espaço urbano está longe de ser um exclusivo do nosso país. Basta atravessar a fronteira para verificar que em Espanha, por exemplo, o panorama não é mais animador. Mas com o mal dos outros...

Mas há um motivo concreto pelo qual mencionei o nome da cidade onde captei estas imagens. Braga não é uma cidade qualquer, é uma das maiores urbes do nosso país.

Uma cidade não deve ser grande apenas no número de habitantes ou na dimensão da sua malha urbana. Uma urbe da dimensão de Braga deve ter uma massa crítica actuante, capaz de exercer uma vigilância activa sobre as políticas municipais que influenciam, directa ou indirectamente, a qualidade de vida na cidade.

As elites não devem servir apenas para gerar e sustentar opções culturais mais ou menos alternativas. Cultura não é apenas música ou cinema independentes (coisas que também me agradam muito). Cultura é também qualidade de vida e, para tal, é imprescindível uma prática que proteja e saiba cuidar dos espaços verdes e das árvores das cidades.

É em cidades como Braga, Coimbra, Porto ou Lisboa, por exemplo, que a mudança deve começar. É nas maiores cidades, com maior vivência cultural, com as maiores academias e universidades, e com os mais influentes órgãos de comunicação social, que devem surgir as elites que se revoltem contra a forma como a árvore é desprezada no nosso país.
E que, em consequência, exijam do poder político local outra atitude face à árvore no espaço urbano. Este só mudará a sua actuação se sentir essa pressão da opinião pública no sentido de uma efectiva mudança na forma como se planeia a arborização das ruas e, posteriormente, na forma como é feita a respectiva manutenção.


Porque a mudança só é possível com o conhecimento, é nas cidades onde este conhecimento está mais acessível, nomeadamente através das universidades e dos técnicos que aí existem, que ela deverá começar.

É altura da manutenção das árvores ser competência exclusiva de arboricultores certificados. Em causa estão não apenas questões estéticas mas a segurança de todos nós e dos nossos bens, pois estas intervenções desastrosas debilitam as árvores pondo em risco, desta forma, a segurança de todos os cidadãos.

Através destas imagens compreende-se melhor porque " (...) em meio urbano, as árvores ficam particularmente frágeis raramente ultrapassando os 60 a 80 anos de vida".

Penso que todos concordaremos que está na altura de por um ponto final a estes "monstros urbanos". Tenhamos um pouco mais de amor ao nosso país, às nossas cidades e às árvores que nelas tentam (sobre)viver.


5 comentários:

Paulo disse...

Isto é pior que um filme de terror, Pedro.

´pulga da areia´ disse...

Acabam de fazer essa obra por aqui, nas árvores que circundam a urbanização. O pessoal aceita , "depois até ficam mais bonitas". É mais ou menos o mesmo que capar cães e gatos para comodidade dos donos - e se calha as mesmas pessoas que são contra manipulações genéticas.

Já disse antes - neste país há ódio. ódio persecutório, às árvores. "Ainda se forem uns arbustozitos". Mal se vê uma flor bonita num jardim, arranca-se para 2 dias de jarra. Mal se vê um cachorro bonito - compra-se, capa-se e deixa-se na rua nas próximas férias.

É, cultura é muito mais que cinema e livros. Por isso é que é difícil, e há muito pouca gente culta.

pedro vicente disse...

Bastante triste...mas nao deixa de ser reflexo da falta de cultura que reina..e nao digo só no nosso país,isto é um problema internacional...cabeças moldadas pelo consumo,pelo fumento de estar "palerma", " ausente" de tudo e dos problemas dos outros...Sou a favor da instrução (ja que o "chá" de casa é de dificil tarefa a um Estado),mais que ler e escrever,mais que apenas tirar uma licenciatura...é ser se interessado!!!nao ausente!!!

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Obrigado pelos vossos comentários que complementaram e enriqueceram o meu texto.

Carlos Roberto Batista disse...

Caro amigos,meu nome é Carlos Roberto Batista,moro em Sereno Distrito de Cataguases MG.Rua João Batista Correia Neto,70 telefone (032)34233171,quero anunciar que serei morto dia 06 ou 07 de agosto deste ano por um grupo de podadores de arvores,comandados por um vereador,seu irmão e um fiscal do distrito porque por varias vezes impedi o corte de 6 arvores centenarias para construção de um lava jato.A promotora publica impediu,mas agora eles vão fazer um poda drastica para matar as arvores e eu não tenho como lutar mais pois já se esgotaram minhas forças e não tenho ninguem mais para recorrer,por isso eles terão que me matar e dissem que faram isso pois a arvore caira em cima de cima.Para que eu não morra em vão eu gostaria que alguem que lesse este blog viesse aqui a tirasse footo e espalharia pelo mundo para a minha morte não fosse emvão.Já escrevi para todas as ONGs e todos os ambiantalista que eu conheço.Não deixe eu morrer em vão salve as outras arvores deste planeta.Parece até que eu estou louco,mas não estou. Uma arvore demora 100 anos para nascer e menos de 10 minutos elas estão no chão para atender pedidos politicos.Faltam dois dias se alguém puder me ajudar.Um abraço a todos.