segunda-feira, fevereiro 11, 2008

Requiem por uma árvore

Era assim no Inverno...


Tília (Tilia tomentosa Moench.), Covilhã (passado)





E era assim na Primavera...



Tília (Tilia tomentosa Moench.), Covilhã (passado)



E assim no Verão...


Tília (Tilia tomentosa Moench.), Covilhã (passado)




Infelizmente, nunca a fotografei no Outono e agora já é tarde...Porque hoje alguém a mandou decepar e a condenou a uma morte certa, lenta e degradante.



A mesma tília transformada num cepo (fotografia do José)




Sobre ela falei aqui, aqui, aqui e aqui. Neste texto lamentei a resposta negativa da Direcção-Geral dos Recursos Florestais ao pedido que tinha feito para classificar esta tília como árvore de interesse público. Nesse dia escrevi com mágoa o que hoje escrevo com raiva:

"Concordo (...) que não poderemos proteger todas as árvores por sabermos que daqui a 10 ou 20 anos irão ser notáveis (descontados eventuais acidentes de percurso...).
Mas, como fiz questão de sublinhar na carta que escrevi aos serviços da Direcção-Geral dos Recursos Florestais, a classificação desta tília notável poderia servir como incentivo para ajudar a população local e as autoridades municipais a mudar a forma como encaram e tratam o património arbóreo da cidade. Dirão que essa não é a missão da Direcção-Geral dos Recursos Florestais. Concordo.
Mas com toda a certeza mudarei de opinião no mesmo dia em que a vir tombar, como já aconteceu a várias outras tílias deste bairro, às mãos das podas assassinas
".


Sinceramente, não me interessa muito em saber quem foi o mandante desta estupidez; se a decisão partiu da Câmara Municipal da Covilhã ou da Junta de Freguesia da Conceição. Apenas me interessa saber qual o destinatário da carta de protesto que irei escrever.


Não sei o que lhes causava incómodo nesta árvore: as folhas que caíam no Outono? A sombra no Verão? O som dos pássaros que aí procuravam refúgio? A mente humana pode ser muito mesquinha e absurda.

Resta-me a convicção profunda que qualquer dos meus alunos de 10 anos seria mais competente e responsável na gestão do património arbóreo do que estes políticos sem estatura moral que nos governam. A esses, aos mandantes, os meus parabéns pela meia dúzia de votos que terão ganhado com esta infâmia!

13 comentários:

Maria Lua disse...

Pedro,

este massacre vai continuar pelo País inteiro... não percebo muito bem de onde vem esta prática macabra de decepar árvores adultas e saudáveis... Mas é um ritual habitual por todas as zonas onde passo.
É uma angústia tremenda sempre que vejo uma árvore grande e bonita, começo a pensar até quando ela estará assim... e depois sempre que passo por elas penso: será que ainda lá está ou já é só tronco...
Torna-se quase um pesadelo, porque sabemos que mais cedo ou mais tarde, alguém vai lembrar do "ritual" e proceder à sua prática!
Triste, muito triste...

Cova Juliana disse...

Creio que me irei lembrar para sempre de como era a árvore antes do atentado.

PS: Assim que tiveres contactos para quem enviar as reclamações, peço-te que o publiques no teu blog. Estou na disposição de enviar também uma carta a reclamar do mesmo! Fiz um post sobre outro assunto que também tens abordado... passa pelo estrela no seu melhor, infelizmente pelas piores razões

Rui Peixeiro disse...

Infelizmente, mais uma triste noticia...

Era uma das árvores mais bonitas da Covilhã e agora deu nisto. Será que é para lenha para a lareira do presidente?

Gostava mesmo de saber a razão para fazerem isto, por todo o lado.
Será que foi algum "brugesso" que em algum ponto deste país se lembrou de "capar" as árvores deste modo e os restantes iluminados que mandam nestes país foram copiando, acreditando que aquilo era o correcto?
Acho que nem no Google se encontra um manual de poda que ensine tal coisa!

Em fim....

Crix disse...

Objectivamente, eu designo isto muito simplesmente como o espelho da IGNORÂNCIA dominante de um povo;
Simbolicamente,(e pegando na tua frase Pedro)perante a (reduzida) estatura moral destes responsáveis, eles devem ver as árvores como seres incomodamente maiores que eles;
Psicológicamente, é tudo uma questão de exercício de PODER!
É Escandaloso e sei como é doloroso sobretudo depois do que fizeste por ela. Por isso só vejo mesmo uma saída: apostar nesses meninos de 10 anos para que eles aprendam a ADMIRAR as árvores como elas são.

Jardineira aprendiz disse...

Concordo com a Crix, cada vez me convenço mais que é a única explicação para estes disparates, as pessoas que se sabem pequenas não suportam seres maiores, nem que sejam árvores, a não ser que possam exercer este tipo de poder sobre eles. A ilusão do poder.

Resta-nos a educação, sim, e que as novas gerações se envergonhem dos disparates desta.

Paulo J. Mendes disse...

As sábias mentes autárquicas responsáveis por façanhas deste tipo são as mesmas a quem o governo planeia atribuir futuramente as responsabilidades de delimitação e aprovação das áreas de REN (Reserva Ecológica Nacional). Por isso preparem-se, que isto é apenas um aperitivo...
A notícia está em www.quercus.pt

Anónimo disse...

Era mesmo o que faltava para completar o mandato assassino destes animais.

gintoino disse...

Áté custa a crer q seja a mesma arvore! Queria fazer um comentario, mas qdo olho para a ultima foto só me vêem à ideia palavrões...

greentea disse...

que horror - até faz dó uma árvore dessas !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Rosa disse...

Mais do que um caso, evidente, de insensibilidade, estamos perante um caso de justiça moral, as árvores, e principalmente as árvores destas dimensões, são memórias, de homens que já morreram, que ninguém deveria ter o direito de apagar.

Márcio Meruje disse...

Olá Pedro,

Mais uma !!!!!!!!!

O que se tem passado nos últimos anos às árvores da Covilhã é lamentável: pouco a pouco, quase todos os anos, vão desaparecendo muitas das árvores que já marcavam a sua presença.

O que dá na cabeça a esta gente ? Ningúém aprecia o verde para lá de betão e alcatrão ?


Cumprimentos,

Zacarias disse...

É revoltante assistir ao assassínio selectivo de árvores imponentes, seres vivos que deveriam merecer o nosso respeito e admiração.
Esta forma de terrorismo ambiental é conduzida por gente fútil, mesquinha e ignóbil, que ignora certamente que são as árvores como esta e muitas mais que produzem o oxigénio, que todos respiramos e do qual depende a vida na terra.
Era urgente descobrir o nome deste criminoso e pintá-lo a cores bem vivas, no local onde o crime foi executado, para que todos saibam e que assim deixe de se esconder na cobardia do seu anonimato.

Paulo Araújo disse...

É doloroso ver tanta estupidez e brutalidade à solta, certa como está da sua impunidade. Em Portugal quem gosta de assassinar árvores não tem que refrear os seus impulsos, pois não haverá tribunal que o condene. Bem diferente é a atitude quando se trata de património construído. E as Câmaras que autorizam ou promovem esses massacres têm vereadores do ambiente e no dia da árvore organizam actividades para as criancinhas: enfim, palhaçadas sem conteúdo, mas com eco garantido na mesma comunicação social que ignora casos como este.