terça-feira, fevereiro 26, 2008

Retratos do Portugal que odeia as árvores (III) - O património que temos para oferecer à Humanidade







Local do crime: Caldas de Moledo, junto à Estrada Nacional 108, que liga Mesão Frio ao Peso da Régua; em pleno Alto Douro Vinhateiro, Património da Humanidade.

As fotografias foram tiradas pelo amigo Nelson Lima (engenheiro agrícola e estudante de arquitectura paisagista); com base nos seus conhecimentos técnicos, o Nelson e um colega, apresentaram há dois anos às autoridades locais, uma proposta para uma poda ligeira dos plátanos que sobreviveram a este "massacre". Esta proposta poderá ter sido decisiva para salvar estes exemplares do fim inglório que vitimou as restantes árvores.

Esta situação é particularmente incompreensível pelo enquadramento paisagístico desta alameda de plátanos e por, pelo menos no que é visível nas fotografias, a mesma não estar a "interferir" com nenhuma outra estrutura (casas, postes de sinalização ou de electricidade, etc.). Quando assim acontece, seja por falta de planeamento na hora de plantar a árvore ou porque entretanto foi necessário construir outras estruturas, é preferível fazer a substituição das árvores por outras de menor porte.
Como escreveu o arquitecto Ribeiro-Telles: "Se não há espaço para a árvore é preferível plantar só o arbusto, ou mesmo só a flor e não contar depois com a tesoura para manter com proporções de criança o gigante que se escolheu impensadamente."

E nem uma pretensa "doença" serve de desculpa a este massacre porque, se assim fosse, então as árvores doentes deveriam ter sido cortadas e substituídas por outras.
Nada pode justificar esta selvajaria. Este é verdadeiramente o património que temos para oferecer à Humanidade!

P.S. - Recorde-se que esta situação nas Caldas de Moledo já tinha sido abordada no Dias sem Árvores.

1 comentário:

Ana Patudos disse...

Olá Pedro, saudações amigas
Pelos vistos nunca mais acaba a barbárie contra as árvores. Colocam carregadores de baldes de cimento a fazer este serviço como se tivessem algum curso especializado em podas, e depois dá nisto que temos visto por este nosso Portugal fora, é uma tristeza.Vai ao meu Paúl , tens lá mais imagens que temos de denunciar, é o mínimo que podemos fazer. Tenho outros exemplos de podas em Almeirim que tenho estado a arranjar coragem para as publicar de tão horrivel foi a " poda".
Senhores autarcas, porque não plantaram arbustos em vez de árvores, assim já não atrapalhavam nada e cresciam pouco, não acham?? que ignorância caramba!!
Quando faz calor, onde se abrigam, debaixo das árvores não é?? Assim qualquer dia por este andar o melhor é trazerem guarda chuva , que dá para proteger da chuva e passa a proteger do sol , não é??
Lembram-se que é a árvore que nos dá o ar puro para respirar-mos?? Mas isso não interessa nada não é? Então porque se queixam que está tanto calor, e as variações de temperatura, blá, blá, blá ...
Há-de chegar o dia em que irão lamentar cortar tanta árvore sem justificação. ACORDEM PARA A REALIDADE, CARAMBA, E RECONHEÇAM QUE ESTÃO A ERRAR!!
Pedro, desculpa o desabafo, mas isto é demais
Abraço amigo
Ana Paula