segunda-feira, agosto 13, 2007

Carvalho de Calvos (revisitado)

Carvalho de Calvos (Quercus robur L.)

O carvalho-alvarinho (Quercus robur L.) de Calvos (Póvoa de Lanhoso) é uma daquelas árvores que nos enche a alma. Foi a terceira vez que a visitei mas o sentimento de descoberta foi semelhante ao da primeira.

Podemos culpar as condições de luz, a máquina fotográfica, a nossa falta de jeito para fotografar mas a verdade é só uma...a sua monumentalidade extravasa o espaço de uma fotografia.


Carvalho de Calvos (Quercus robur L.)

Possui uma idade estimada de 500 anos, tantos como os do castanheiro de Guilhafonso, e está classificado como árvore de interesse público desde 1997.

O ramo que lhe foi cortado (ver fotografia anterior) para conter um cancro não foi totalmente eficaz na contenção da doença, estando programada nova intervenção. Apesar disso, a primeira intervenção permitiu à árvore recuperar o vigor vegetativo.

Na base do tronco existe uma cavidade de origem natural mas que foi utilizada durante muitos anos para depósito de lixo, o que poderá ter contribuído para o desenvolvimento de uma humidade no interior da mesma.


Carvalho de Calvos (Quercus robur L.)

Os números deste carvalho esmagam-nos, a começar pelos seus 5 séculos de idade.

Altura = 23 m
Diâmetro médio da copa = 40 m
Perímetro à altura do peito = 7,3 m


Adjacente a este exemplar, fica um outro carvalho-alvarinho (ver foto abaixo), bem mais jovem, mas pleno de vigor vegetativo e já com uma altura impressionante, podendo vir a ser dentro de algumas décadas um outro gigante a venerar.


Quercus robur L.

Por último, uma palavra de elogio para aqueles que idealizaram e concretizaram este espaço de fruição com a Natureza partindo da preservação de uma árvore. Sonho com o dia em que estes espaços não sejam notícia no nosso país por serem uma excepção.

Neste endereço
fica um conjunto de imagens e informações sobre alguns dos mais antigos e maiores carvalhos (Quercus sp.) da Europa. Uma lista da qual merecia fazer parte o nosso carvalho de Calvos.

3 comentários:

FRANCISCO T PAIVA disse...

Felicito-o pela perseverança na atenção à flora e pela lucidez da sua crítica. Sem dúvida que as árvores exaltam o melhor e sofrem do pior dos homens.

Anónimo disse...

Já estive no Carvalho de Calvos. É espantoso porque não sbia que isso existia, mas adorei lá estar. Aqui vê-se a verdadeira Natureza Portuguesa.
Fiquem bem ;)

Bjos

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Caro anónimo,

Obrigado pelo comentário.

Este espaço, no qual está inserido o magnífico carvalho de Calvos, está muito bem conseguido. Para quem gosta de árvores, é um enorme prazer ver a felcidade das crianças, visíveis numa das imagens, a brincar à sombra de árvores grandiosas.

Que o tempo as preserve...