terça-feira, novembro 06, 2007

Um dia por terras de Idanha (retratado em árvores)

Uma velha amoreira - Idanha-a-Velha


Um dia será um gigante, assim o permitam... - Lódão-bastardo (Celtis australis L.) - Idanha-a-Velha


Oliveira n.º 1 (Olea europaea L.) - Idanha-a-Velha



Oliveira n.º 1 (Olea europaea L.) - Idanha-a-Velha




Oliveira n.º 2 (Olea europaea L.) - Idanha-a-Velha



Oliveira n.º 2 (Olea europaea L.) - Idanha-a-Velha




O reino das azinheiras.... - Vale do rio Erges (arredores de Salvaterra do Extremo)


Pilriteiro (Crataegus monogyna Jacq.) no Vale do rio Erges

13 comentários:

al cardoso disse...

Lindas arvores tem a Idanha!

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Al,

Esta Beira de Idanha tem já um perfume a Alentejo, mas não deixa de ser Beira...aliás essa é uma característica da nossa região beirã, ou seja, ser um mosaico que resume a diversidade do nosso país.

Abraço para Fornos (bela terra onde tenho bons amigos) e os "States".

Anónimo disse...

Que interessante flora !!!

Não fazia ideia que o buxus era autoctone . Será ?

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

O Buxus está referenciado como autóctone no Vale do Douro e afluentes (como o Sabor); tanto quanto tenho conhecimento, não está referenciado como autóctone no Tejo e nos seus afluentes (como o Erges); portanto, se tivesse que arriscar, diria que este exemplar foi ali plantado mas...

Márcio Meruje disse...

Viva Pedro ,

Sem entrar em grandes polémicas pela imagem parece-me uma olea europea var. sylvestris . A sua folha diminuta ( que em determinadas condições chega a 4 ou 5 mm ) e o aspecto dos ramos evidenciam isso.

Cumprimentos,

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Olá Márcio,

As polémicas são mais que bem vindas! E, por vezes, até sinto falta de algumas boas trocas de argumentos aqui no blogue.

Não me parece que seja um zambujeiro, os quais têm as folhas semelhantes às da oliveira, embora de menor dimensão (usando uma linguagem pouco técnica, um pouco mais alongadas e estreitas).

Mas sem flores e frutos, há algumas similitudes...Vamos esperar por outras opiniões. (Nota: a minha fotografia também não ajuda)

Um abraço e obrigado pelas tuas observações.

P.s.- na Sexta vou publicar umas fotos de uns zambujeiros classificados em Espanha...vou ver se tenho alguma fotografia em que se veja as folhas em pormenor.

Márcio Meruje disse...

Olá Pedro,

É verdade que a foto não ajuda grande coisa não ... Mas lá que parece parece e o buxo, tanto quanto sei, não apresenta uma tão grande distancia internodal.

Bom... deixo um link de um forum francês onde pode ver algumas olea´s em situações adversas e igualmente a folha ser comparada quer com buxus , quer com a vulgar oliveira. ( percorra as quatro páginas do tópico ).

LINK : http://www.edgbonsai-fr.com/index.php?option=com_smf&Itemid=110&topic=9541.0

( A temática em que se insere, bonsai, não tem de todo qualquer importancia para o assunto em questão mas foi onde encontrei realmente o que procurava . )

Obrigado.

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Márcio,

Vou ser sincero...foi uma identificação "feita à pressa", na altura fiquei com algumas "reservas" (confesso!)quanto a ser um Buxus; não me pareceu ser um zambujeiro, por comparação com os que conheço no Algarve (onde é muito comum) e continuo a ter algumas "reservas" que o seja (apesar das fotos que me indicas); infelizmente, a minha foto está "tão boa" que não apanha a página inferior de nenhuma das folhas (o que tiraria em definitivo todas as dúvidas).

Tinha a esperança que algum leitor mais atento me aguçasse a dúvida...por isso, por ter ficado na dúvida após os teus comentários, vou retirar a fotografia e reformular o "post". Isto tirará algum sentido aos comentários mas, na dúvida quanto à espécie, nunca apresento a identificação na "Sombra...". No Carnaval, conto regressar ao local e confirmar a identificação. (Isto deixou-me com a "pulga atrás da orelha" e não vou descansar até "tirar isto a limpo"). Obrigado por me ensinares a não ser tão relaxado e "convencido" da minha capacidade de identificar à primeira vista.

Obrigado e um abraço

Márcio Meruje disse...

Olá Pedro,

Não altere o post !!! ... Errar é Humano ( e só assim aprendemos ).

De facto estamos ambos indecisos mas após os comentários fica , até novo contacto com o local, em dúvida.

Obrigado,

P.S. - Tenho o mesmo " mau feitio" de tentar identificar grande parte da flora arborea ( arvores e arbustos ) que encontro por este Portugal fora.

Até Breve.

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Márcio,

Fica a promessa de regressar à foto quando tiver a certeza; até lá, por uma questão de coerência com o que tenho feito (eu também tenho "mau feitio:), não poderia deixar uma fotografia sem ter a certeza absoluta da espécie retratada.


Errar é humano, já não é tão humano reconhecê-lo, eheh!
Um abraço.

Márcio Meruje disse...

Recupero este tópico pela curiosidade da resposta :)

Em Salvaterra de Extremo como posso chegar ao local das fotos ?


ABraço !,

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Márcio,

Também eu não esqueci esta questão (até estive para te enviar um e-mail há tempos) mas para mim já não há dúvidas; é um zambujeiro (parece-me até "surreal" como pude confundi-los!)

Estive até para recolocar a foto, apenas não o fiz por um misto de preguiça e porque a foto não estava muito boa.

De qualquer maneira recomendo-te esta visita e, sobretudo, que desças até ao rio Erges (coisa que eu não fiz); ao nível das árvores/arbustos o mais curioso que poderás aí encontrar poderá ser um oxicedro (Juniperus oxicedrus), que aparece em zonas mais abrigadas dos vales do Douro e Tejo (e respectivos afluentes); já vi alguns na zona do Douro mas ainda não vi nenhum na zona do Tejo.

Em Salvaterra do extremo é só perguntar pelo caminho que conduz ao castelo (que na realidade é apenas uma torre de vigia para o castelo de Peñafiel em Espanha); nós seguimos pelo caminho de terra (que me pareceu ser o único) até à dita torre.

Um abraço e boas descobertas.

Márcio Meruje disse...

Ok Pedro, obrigado.

Dou-te noticias quando visitar estas terras lá mais para o Verão.


Cumprimentos,