quarta-feira, novembro 28, 2007

Eucaliptos de Monchique





Entusiasmados por este texto do blogue Mons Cicus e aproveitando este Outono soalheiro, lá partimos para Monchique em busca de mais árvores monumentais.
Neste caso, fomos fotografar e medir um conjunto de três eucaliptos (que me parece serem da espécie Eucalyptus globulus Labill.), situados junto ao Centro de Saúde. Nestas fotografias retratamos apenas os dois de maiores dimensões.

Ambos superam os 5 metros de P.A.P. e os valores de altura são igualmente impressionantes, situando-se perto dos 40 m*.

* para o primeiro eucalipto (duas primeiras fotos) obtivemos valores superiores; no entanto, temos razões para crer ter existido um erro derivado duma ilusão óptica por estarmos a medir ramos ligeiramente inclinados. Teremos pois que refazer esta medição mas, em todo o caso e por comparação com o outro eucalipto, será sempre um valor impressionante.

Mas, acreditando nos comentários do Mons Cicus, estes nem sequer serão os eucaliptos mais altos de Monchique, pelo que em breve voltaremos a essa vila em nova missão.






Aproveito ainda para divulgar que sobre esta e outras árvores do Sul de Portugal, será em breve disponibilizado um novo blogue, de minha autoria e de Miguel Rodrigues: Árvores Monumentais do Algarve e Baixo Alentejo.
O mesmo não está ainda disponível para consulta por estar sob construção e em processo de registo de conteúdos através da Inspecção-Geral das Actividades Culturais.

4 comentários:

Gus disse...

Oi Pedro!

Tudo eucalipto monumental que voces fotografíen no Sul de Portugal é motivo de alegría para min! Há uns 30 anos (ou máis) que nao se fai un censo deles, e posse que muitos dos grandes gigantes de Ernesto Silva Goes ja nao estean en pé. Mais outros antes desconhecidos, seguro que se incorporan á categoría de monumentais. Por tanto, parabéns!

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Olá Gus,

O Ernesto Goes fez um trabalho notável e não apenas em relação aos eucaliptos.

Muitos dos eucaliptos de que ele falava e que se situam numa quinta particular em Eixo (Aveiro) ainda estão de pé.
Infelizmente, muitos dos que faziam parte da fabulosa colecção da Mata de Vale de Canas (Coimbra) terão ardido em 2005. No entanto, o magnífico E. diversicolor, considerado a mais alta árvore de Portugal, penso que sobreviveu.

Um abraço e o obrigado pelos comentários.

Gus disse...

O Karri Knight do Vale de Canas sobreviveu, afortunadamente.

http://www.git-forestry.com/KarriKnight-GiantEucalyptusdiversicolor.htm

Se nalgunha ocasión apetece de buscar eucaliptos "raros" no sul (Setúbal ate o Algarve), conto con datos do Ernesto lá pelo 1960 que poden ser "pistas de detective" a seguir :)

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Gus,

Obrigado pela confirmação de que esses eucalipto de Coimbra sobreviveu. Vou dar essa notícia a todos os leitores do blog.