quinta-feira, novembro 15, 2007

O verbo "requalificar" - um vanguardismo português

Em Portugal, o verbo "requalificar", pelo menos no que concerne aos espaços urbanos e às Áreas Protegidas, começa a causar-me calafrios...

Porquê? Porque parece implicar o obrigatório corte de árvores!

Foi assim, mais uma vez em Albufeira, com as obras de requalificação da Avenida dos Descobrimentos, as quais implicaram o sacrifício de várias pimenteiras-bastardas (Schinus molle L.). Supostamente, era necessário alargar os passeios e reformular a iluminação pública e, caso bicudo da engenharia urbana, revelou-se impossível conciliar esta necessidade com as árvores existentes.

O dia escolhido para esta operação não podia ter sido mais simbólico: 21 de Março (supostamente, o Dia da Árvore)!

Albufeira (21 de Março de 2007)


Albufeira (21 de Março de 2007)


Albufeira (Novembro de 2007)


Albufeira (Novembro de 2007)

Mas a originalidade da Câmara de Albufeira não termina aqui. No lugar das árvores cortadas decidiu plantar outras árvores, já podadas da forma que se pode ver nas fotografias.

Sim, porquê esperar alguns anos para decepar as árvores? Vamos plantá-las já decepadas!

P.S. - As duas primeiras fotografias são do Miguel Rodrigues. Estas fotografias andaram "perdidas" durante alguns meses (motivo pelo qual ainda não tinha denunciado este atentado), mas reapareceram, em boa hora, para poder publicitar estas maravilhas vanguardistas que ocorrem na cidade de Albufeira.

5 comentários:

arboretto disse...

Entendi agora, o que diz.
Mas isto vem a ser entao vandalismo e nao vanguardismo...

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Exactamente, uma "espécie de vanguardismo bacoco" ou, simplesmente, puro vandalismo!

Filipe Duarte disse...

Infelizmente também tive a oportunidade de constatar estas atrocidades, é difícil de entender como ainda se continuam a executar rolamentos desta dimensão. Este tipo de técnicas é totalmente desproporcionado, um verdadeiro erro técnico. Não entendo como os técnicos camarários permitem que se executem operações deste nível. Se objectivo era ter elementos com um porte e copas mais pequenas, deveriam ter escolhido outra planta, não é agora "moldar" a planta para que ela atinja o porte desejado, causando enorme sofrimento à planta!!!

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Filipe,

Obrigado pelo comentário.

De facto, já vai sendo tempo para, de uma vez por todas, se perceber que este tipo de poda não tem nenhuma justificação técnica.

E que existem espécies de porte menor que por vezes são mais adequadas ao espaço urbano; é tudo uma questão de planeamento.

Flor disse...

O que sera que se passa cpm esta gente pra fazer ISTO?