terça-feira, janeiro 29, 2008

Virou moda?

A praga das "oliveiras-lulu"

A Manuela baptizou-as, e bem, com o nome de "oliveiras-lulu". Mais tarde, manifestei a minha preocupação pelo alastrar deste tipo de "poda artística" no concelho de Silves, ao encontrar mais exemplares no Algoz.

Este fim-de-semana deparei com o alastrar deste fenómeno a um jardim particular da cidade de Silves.

Será que esta triste moda veio para ficar? Ficará contida nos limites deste concelho algarvio ou corremos o risco de a ver propagar ao restante território nacional?

P.S. - Amanhã e como forma de compensar os leitores, prometo "revelar" uma soberba oliveira!

5 comentários:

lucia disse...

que horror este filme nao quero ver passar por aqui...

Júlia Galego disse...

Pedro, mas já nem as oliveiras escapam a esta praga?
A propósito disto, costumo comprar a revista Jardins e, no último número vem uma peça que tem o seguinte título: "ESCULTURAS VERDES. Minimalismo e inspiração Hispano-Árabe em Cádiz". As fotos mostram, por ex., "A coluna vertebral do jardim (que) é um caminho com passadiço relvado, demarcado por ciprestes e laranjeiras podadas em forma oval". Já está a imaginar este jardim com as árvores todas "domesticadas"? Será desta "tendência artística" que vem a moda das árvores "lulu"?
Constrastando com estas imagens, vêm as do Jardim José do Canto em Ponta Delgada, inspirado nos jardins românticos ingleses, onde a natureza aparece em todo o seu esplendor.
Agora duas novidades: ofereceram-me uma oliveira, ainda arbusto, e tenho uma azinheira bébé, resultado de uma das bolotas que semeei.
Espero essa oliveira que descobriu...

Maria Lua disse...

O que faltará mais...
Parece que esta gente endoideceu!

Ana Ramon disse...

Um espectáculo horrível de se ver... mas tem um lado bom: ao menos sempre deixam esses ridículos tufos para a pobre árvore poder respirar. Outras podas há que deixam apenas o tronco completamente nu, quando a oliveira nem sequer é de folha caduca.
Também sou contra as esculturas verdes e contra os bonsai. Ainda que digam ser uma outra expressão artística, que descubram outros materiais e deixem as pobres árvores crescer livremente.
Um beijinho

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Obrigado pela vossa solidariedade e comentários. A "oliveira do Manuel" compensa um pouco este "sofrimento artístico".

Beijos e boa continuação de semana para todas.

P.s. - Júlia: boa sorte para esses bebés!