terça-feira, agosto 29, 2006

Um ano depois...

Só este mês, passado um ano, arranjei a coragem para voltar a passar no vale do Zêzere...

Ainda lá estão as cicatrizes e muitas ficarão para sempre...

Mas o miocárdio da serra ainda bate, ferido...Mas sobreviveu! Ainda há teixos no vale e a certeza que nem mesmo a mais criminosa e cobarde das acções humanas, consegue subtrair a vida ao vale mais bonito do mundo.


Vale do Zêzere, Agosto de 2006
(visto da estrada de ligação ao Covão da Ponte)


Sobre a Estrela escreveu, um dia, Miguel Torga "Somente a quem a passeia, a quem a namora duma paixão presente e esforçada, abre o coração e os tesouros. Então, numa generosidade milionária, mostra tudo".

5 comentários:

Manuel Anastácio disse...

Zêzere esse, ferido desde a nascente até à foz. As margens da barragem de Castelo de Bode são a tristeza vestida de negro.

ljma disse...

Sobre a frase do Miguel Torga: é tão evidente! E pretendem algumas luminárias locais "democratizar", abrindo estradas, o acesso às maravilhas da Serra, pensando que democratizam assim a sua fruição!
Chega-se a um local particularmente bonito depois de uma caminhada esforçada: que maravilha!; chega-se de carro a um local que *era* bonito antes de se o ter "beneficiado" com uma estrada: que giro, deixa-me tirar uma foto e vamos já para o próximo sítio bonito, depressa, depressa!
Um passeio na serra é também uma viagem interior; uma voltinha de carro é uma coisa tão triste como passar o sábado no centro comercial...

pedro n. t. santos disse...

Em certos casos temos que saudar a burocracia lusa...falo em particular da dita "estrada verde" (conceito interessante!) que ligaria a Guarda ao Maciço Central, a partir de Videmonte...isto seria o verdadeiro fim de uma das poucas zonas da Serra ainda "virgem no turismo de massas"...embora este "trilho" já exista em terra batida, o seu asfaltamento iria exponenciar o número de veículos automóveis e seria o derradeiro golpe na "última fronteira" da Estrela!

Anónimo disse...

Viva !

Antes de mais parabens pelo blog que apresenta.

Recuperando um blog já antigo gostaria de saber um pouco mais sobre os núcleos de teixos ainda existentes ( GRAÇAS A DEUS !! ) na Serra da Estrela.

Para além do núcleo de teixos perto de uma ribeira depois no Covão d´Ametade tem conhecimento de mais algum ?

Obrigado .

Márcio Meruje : m.meruje@gmail.com

Pedro n. t. santos disse...

Caro Márcio,

Obrigado pelo elogio ao blogue.

Esse núcleo, apesar de muito afectado pelo incêndio de Agosto de 2005, ainda será o mais significativo.

Existem outros exemplares isolados,(ex: Poço do Inferno) mas desconheço a existência de mais núcleos dentro da área do Parque Natural.