quarta-feira, outubro 15, 2008

A cretinice


No "bairro dos ricos" as árvores não podem crescer, não podem estragar os passeios ou as suas folhas entupir as sarjetas!

No "bairro dos ricos" as árvores não podem ocupar o lugar de um audi! No "bairro dos ricos" não há lugar para uma árvore, mas não falta espaço para a cretinice...

No "bairro dos ricos" dezenas de árvores, com mais de 20 anos, foram cortadas pela base! O "bairro dos ricos" é a Quinta do Covelo, na Covilhã. As fotos, tiradas há poucos dias, são uma cortesia da Máfia da Cova.










Recordo as palavras da Sophia que li, no outro dia, no Blog de Cheiros:

"O homem que é insensível ou indiferente à poesia, à música ou à pintura é um homem ensurdecido no seu ser e diminuído na sua existência. Um homem mutilado, anormal e temível. É o destruidor da alegria".

Sophia de Mello Breyner Andresen

7 comentários:

Oróbio de Castro disse...

A pobreza de espírito está bem distribuída. Contemplai agora sem obstáculos naturais, ó ímpios, as vivendas do nosso contentamento.

ljma disse...

Isto é estranho. Creio que estas árvores foram plantadas pelos proprietários dos lotes. Duvido que todos tenham visto com bons olhos estes cortes, até porque quase todos têm árvores nos seus jardins, muitas bem maiores que as que foram cortadas.

Eu moro no bairro e não fui consultado ou informado sobre os cortes, talvez porque no passeio à frente da minha casa não havia árvores (plantei as minhas no interior do jardim).

Só notei estes movimentos quando começaram a cortar as árvores do passeio do vizinho do lado. E confesso que não fiz esforços para perceber a coisa. Comodismo? Sim.

as-nunes disse...

Caro Pedro
É caso para formular uma questão muito simples e básica: se as árvores incomodam algumas pessoas, porque é que não foi feita essa avaliação na altura? A verdade é que os passeios são estreitíssimos (há que poupar terreno!) mas, mesmo assim, era de bom tom plantar umas árvores para as estatísticas do verde na cidade. Agora que elas começam a encorpar, aqui d´El-Rey que me estão a incomodar as vistas para a rua e fazer sombra às janelas!
Infelizmente é o que se constata que está a acontecer em muitos sítios.
A solução era fácil. Porque não prever espaços/terrenos, no meio das urbanizações, expressamente para plantar bosquetes. Sempre haveria algumas manchas verdes no interior das cidades, tão necessárias ao indispensável equilíbrio ambiental dos meios urbanos.
Com estas políticas, os nossos netos é que vão sofrer as consequências mais gravosas, mas nós temos o dever cívico de responsbilizar criminalmente quem comete crimes desta natureza. Já chega de tanta prepotência por parte das Câmaras Municipais!

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Oróbio de Castro,

A pobreza de espírito está, efectivamente, bem distribuída pelo menos no que concerne às árvores no meio urbano.


Abraço.


António,

É o mal crónico desta país: a total falta de planeamento!
De facto, a maioria das ruas das cidades portuguesas, mesmo de urbanizações recentes como esta, não possui passeios que suportem uma adequada arborização.

Concordo que é preferível, nestas situações, não plantar árvores (ou plantar apenas arbustos) e concentrar essas árvores, em pequenos espaços verdes, onde possam crescer livremente.


Abraço




José,

Tens razão. Os autores da "Máfia..." reenviaram-me o e-mail da denúncia, que partiu de um morador no bairro e que refere precisamente que foi ele quem plantou as árvores...E que as pagou!!E também não foi consultado para nada...Receio que nada pudesses fazer para evitar esta situação.

É lamentável embora, sejamos honestos, se não tivessem sido cortadas, seriam podadas radicalmente mais cedo ou mais tarde!

Pudessem ter todos os teus vizinhos, o mesmo amor que demonstras pelas árvores...

P.s.- Espero que os carvalhos continuem bons de saúde!

Abraço

maria costa disse...

Cortar árvores já com aquele diâmetro de tronco é um verdadeiro atentado!! Cada vez mais vivemos na era do aqui, já e agora... Concordo com o oróbio de castro, possivelemente, faziam sombra às vivendas e não se viam bem da rua, agora resolveram o assunto, cortando aquilo que levou anos a crescer.
Será que sabem que em Londres, a existência de árvores adultas dão mais valor às moradias?
Certamente, não.

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Maria,

Em Portugal, pelo contrário, as árvores são um estorvo...Quase que desvalorizam uma rua!

Muitos destes crimes resolviam-se com planeamento na hora de decidir "onde plantar" e "que espécies plantar".

Obrigado pelo seu comentário.

Tiaguss disse...

É triste!!! Agora venham os sobreiros ..........