quarta-feira, dezembro 05, 2007

Uma tarde de Outono em Monchique (II)

Castanheiro (Castanea sativa Mill.) - Serra de Monchique


A tarde de Domingo passada em Monchique, de que falei neste texto, permitiu ainda a descoberta de outras árvores, como o castanheiro (Castanea sativa Mill.) que mostro nestas fotografias. É uma árvore de grandes dimensões, perdida num recanto da Serra de Monchique, entre o Barranco dos Pisões e a Fóia (tal como em relação aos sobreiros de que falei no passado Sábado, só foi possível encontrá-la com a ajuda dos amigos Mário Duarte e Joaquim Assunção, a partir de um texto do blogue Mons Cicus).

Este belo exemplar, ainda que não seja comparável ao famoso castanheiro de Guilhafonso (Guarda), nomeadamente ao nível da grossura do tronco, possui uma altura e diâmetro de copa assinaláveis. Por certo que será um dos maiores, ou mesmo o maior, castanheiro do Sul do país.

Altura = 27 m
Perímetro à altura do peito = 3,95 m
Diâmetro máximo da copa = 26 m

Castanheiro (Castanea sativa Mill.) - Serra de Monchique


P.S. - Esta jornada permitiu ainda a descoberta de uma magnólia (Magnolia grandiflora L.) de grandes dimensões, de que falaremos em próximos dias. Recorde-se que em Monchique existe uma outra magnólia da mesma espécie, situada junto ao Convento de Nossa Senhora do Desterro, classificada de interesse público e considerada a maior magnólia do nosso país.

3 comentários:

ana pinto disse...

Existem publicações que mencionam esta magnólia como a maior da Europa. Resta saber em que dados se terão fundamentado para tal afirmação.

Ver disse...

A minha alma está parva com estas senhoras árvores que tu consegues encontrar.

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Ana,


Esse tipo de certezas nunca poderemos ter mas que é uma árvore absolutamente colossal...lá isso é! As fotografias não lhe fazem justiça...

Rosa,

Obrigado pelas palavras simpáticas mas, neste caso como noutros, parti de referências de outras pessoas (neste caso, em particular, do autor do blogue Mons Cicus).
Neste particular, não sei se este país já terá feito a devida homenagem ao engenheiro Ernesto Goes que tantas maravilhas nos desvendou.

Em relação à minha "técnica" de "descoberta de árvores" não a recomendo a ninguém, pois vai contra tudo o que nos ensinam relativamente à concentração que se deve ter ao volante... :)

Bom fim-de-semana.