sábado, janeiro 10, 2009

Uma pergunta de difícil resposta

Carvalho-americano (Quercus rubra L.) - Pousada de S. Bento (Caniçada, Gerês)


Quando é que uma árvore, de uma determinada espécie, deixa de ser um exemplar monumental, de dimensões acima da média, para passar a ser um espécime digno de ser considerado árvore de interesse público?

Podendo parecer fácil, considero que é uma pergunta de muito difícil resposta. Acresce que os motivos que podem justificar a classificação de uma árvore podem ser de diversa índole; atente-se na questão da relevância histórica e cultural, como no caso da azinheira de Fátima.

No entanto, e no que concerne especificamente às dimensões das árvores, considero que deveria ser encontrado um sistema que uniformizasse as condições para a classificação de um determinado exemplar arbóreo. Recorde-se, a este propósito, o que acontece nos E.U.A., com o National Register of Big Trees (ver página 3 do documento pdf).


Independentemente das considerações anteriores, chamo a atenção para a magnífica árvore que acompanha este texto. Um belíssimo carvalho-americano (Quercus rubra L.) com privilegiada vista para a Barragem da Caniçada, no Gerês. Um sério candidato a gigante...



2 comentários:

Ana disse...

Hola Pedro, es cierto que la pregunta tiene difícil respuesta. Establecer un criterio uniforme no parece factible ante la diversidad de especies, crecimiento, etcétera. Pero es una pena que se pierdan ejemplares magníficos por falta de protección así que -como mal menor- los encargados de su cuidado debieran establecer unos parámetros que faciliten la consideración de árbol "protegido". Pienso que el camino va a ser largo; el patrimonio natural -salvo excepciones- se percibe difícilmente y así no se puede proteger.
Ana

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Ana,

Há ainda um largo caminho a percorrer em Portugal e Espanha. Portugal tem a vantagem de ter uma lei nacional de protecção de árvores monumentais; mas uma lei escrita, por si só, não protege nada. As pessoas é que têm que começar a olhar de forma diferente para a importância da árvore.
Abraço para as Astúrias.