segunda-feira, dezembro 25, 2006

Apesar de ser dia de Natal

Tenho pena de não ter comigo, de momento, uma máquina fotográfica que permitisse documentar o aspecto que os caixotes do lixo apresentam neste dia de Natal...pelos vistos, o espírito natalício é um sentimento com um prazo de validade extremamente limitado.
Há aqui dois tipos de responsabilidades:
- dos cidadãos que não fazem o mínimo esforço para reutilizar ou, pelo menos, reciclar os resíduos e que, posteriormente, como se já não bastasse não terem feito a separação caseira dos resíduos, correm a depositar tudo nos contentores do lixo. Como se fosse grande incómodo ter em casa, por mais algumas horas, algumas embalagens e restos de papel!
– da Câmara Municipal da Covilhã, que não estimula os cidadãos a separar e reciclar os resíduos, como se comprova pelo escasso número de ecopontos existentes na cidade; chega a ser ridículo afirmar que só, no corrente ano, chegaram a uma das maiores cidades do interior do país, alguns (muito poucos) ecopontos amarelos. E, como as pessoas já nascem com esta tendência natural para a preguiça, quando não têm um ecoponto nas redondezas...bom, vai tudo para o caixote do lixo!

Por outro lado, gostaria de reforçar algo que tive oportunidade de ler no Cântaro Zangado, sob o título, "Como se fabrica uma notícia". De facto, também eu tinha estranhado a notícia de ontem do "Público" (na secção Local Centro), onde o presidente de Região de Turismo vinha argumentar contra um pretenso comunicado da Plataforma pelo Desenvolvimento Sustentável da Serra da Estrela (PDSSE). E tinha estranhado, porque tendo passado cerca de 48 horas apenas sobre o anúncio da chuva de milhões para o turismo da Estrela, e estando eu atento a estas questões, não tinha tido conhecimento de nenhum tipo de reacção por parte da PDSSE em órgãos de comunicação social, regionais ou nacionais.
Como se pode perceber pela leitura do referido texto no "Cântaro Zangado", o dito comunicado nunca existiu...o que a mim me perturba, como leitor desde o início do "Público", é como um jornal de referência pode trazer este tipo de notícias, sem que questione o referido (e pretensamente ofendido) presidente de Região de Turismo, sobre a existência desse comunicado! Andaremos todos a brincar uns com os outros?

3 comentários:

ljma disse...

Pedro, olá!
Ouve, aparentemente essa história do comunicado foi confusão, e apareceu assim na notícia do Público e do Primeiro de Janeiro por causa de cortes posteriores à redacção que tornaram a notícia no que se viu. O maquinista não está assim tão cheio de comichão (por enquanto, eheheh).
Feliz natal, apesar dos caixotes do lixo a abarrotar, por todo o lado (eu sei, que estive, nos últimos dia e meio, em Anadia, Seixal e, agora, back in Covilhã)!

bettips disse...

Também convoco um desejo para ti, pouco convencional para esta quadra: que se conserve a Natureza, que se eduquem as pessoas a respeitá-la e a amá-la. Tão pouco era preciso para salvaguardar o que nos resta! Um abraço para o outro lado da nossa linda serra!

Pedro n. t. santos disse...

São de facto, desejos "pouco convencionais"...mas absolutamente urgentes! Abraço para o lado do mar da nossa Serra...