sábado, outubro 07, 2006

Eu sou pelas tílias

Para que se não pense que luto contra moinhos de vento, aqui fica a transcrição integral de um texto publicado no blogue "Cão de Fila", no passado dia 13 de Junho. Reza assim...

"Substituam-se as tílias da avenida...

A Av. Heróis do Ultramar está ladeada de árvores, o que se aplaude. Os peões agradecem, especialmente nos dias de maior calor. Só que há árvores e... árvores!No troço compreendido pelas ruas Prof. Gonçalves Figueira e 1º de Maio, algumas dessas árvores são tílias. Que podem ser bonitas mas... deixam cair matéria gordurosa que, para além de dar cabo da pintura dos automóveis - cujo estacionamento é pago! - deixam o pavimento e os passeios escorregadios, originando que os peões menos precavidos possam mesmo dar um trambolhão.Não seria possível substituir estas árvores? Nos viveiros - talvez mesmo onde o município adquire as flores que embelezam as pracetas, rotundas e jardins - existem árvores mais apropriadas (ameixeiras ou plátanos também não!) para ocuparem o lugar das tílias, com tamanho já razoável, capazes de dar sombra já no próximo verão.A sugestão aqui fica."

Este texto é assinado pelo editor do respectivo blogue e as ditas avenidas e ruas ficam na cidade de Pombal.

A esta pérola apraz-me responder da seguinte forma: de facto, as árvores só dão chatices! Aliás, já tive a oportunidade de sugerir por mais do que uma vez, que as câmaras começassem a plantar árvores de plástico. Seriam só vantagens: não consomem água, não crescem, não provocam alergias, etc.

Eu diria mesmo mais...Abatam-se todas as árvores e também as aves que sujam os automóveis, bem como os insectos das auto-estradas; abatam-se os cães que urinam nos pneus e os seus donos descuidados.
Prendam os miúdos que, descuidados, atiram bolas de futebol contra os carros ou simplesmente se encostam a eles; proíbam-se todas as obras que fazem pó que se cola aos tejadilhos e proíba-se aquela chuvinha miúda que deixa as pinturas manchadas.

Em relação aos passeios, substitua-se a calçada à portuguesa para que ninguém escorregue...Não nos esqueçamos também de proibir os sapatos de sola e os de salto alto; de proibir as câmaras de abandonar, após as obras, os montinhos de pedras e areia nos passeios; de proibir a geada e, mesmo a chuva, que às vezes também é bem escorregadia...

No fundo, eliminem-se todos os tolos que, por falta de precaução, se deixam escorregar em matérias gordurosas!

Há quem seja pelos carros. Eu sou pelas tílias!

6 comentários:

Manuel Anastácio disse...

Deviam-se proibir certas "matérias gordurosas" em certos cérebros, com certeza...

TPais disse...

Vivas, antes de mais os meus parabens por este blog!
Queria colocar-lhe uma questão relativa a um outro texto que apresentou anteriormente(sobre o "infantário" de plantas que tem em casa). Gostaria de saber se tem alguma informação relativamente à plantação de nogueiras. É que a caminho do sitio onde trabalho existe uma e acho uma arvore explendida. Gostaria então de saber se é facil fazer germinar uma noz!
Dos meus tempos de liceu já não me resta nada sobre as aulas de biologia vegetal. A minha questão é que não existe mais nenhuma nogueira à volta, serão estes frutos germinaveis?
Abraço e mais uma vez parabens pelo blog.

pedro n. t. santos disse...

Obrigado pelos comentários e também pelo "Cântaro"...

Já consegui, há uns bons anos, fazer germinar um par de nozes...infelizmente, como as nogueiras secaram dois anos depois, acabei por não voltar a experimentar!...até porque estou sempre a experimentar novas espécies!

Basta colocar as nozes em terra húmida e esperar...há quem aconselhe deixá-las previamente em água, 1 a 2 dias, para a parte exterior amolecer, mas eu na altura nem isso fiz...A terra convém estar húmida, mas não permanentemente encharcada, para não as apodrecer.

Qual a quantidade certa de humidade? É daquelas coisas que se vão aprendendo com a experiência e com os erros...apesar de tudo, convém não esquecer que não estamos a falar propriamente de uma "ciência exacta", pelo que convém sempre plantar mais do que uma em diferentes vasos...e, sobretudo, ter paciência!...

Existem em viveiros, à venda, nogueiras já bem altas, mas não é a mesma coisa! Nada se compara ao prazer de termos uma árvore que cresceu de uma semente por nós plantada!

De resto, posso dizer que já consegui fazer germinar, que me lembre, para além de nozes: medronhos, bolotas de várias espécies de carvalhos, castanhas, avelãs,etc...existem algumas bem difíceis, por exemplo, as de teixo deverão ser previamente engolidas por certas aves para que o ácido do estômago possa "amolecer" a camada exterior; outras, como no caso das cerejas, devem estar expostas durante um certo tempo ao frio, etc. Quem talvez lhes conheça os segredos melhor que ninguém são os técnicos dos viveiros...

No entanto, pode estar descansado, as nozes não fazem parte deste grupo...se a coisa resultar, espero daqui a uns anos vir a receber um cabaz com nozes!
Abraço

TPais disse...

Pedro, muito obrigado pelas dicas!Já tenho uns 6 vasitos com a noz lá enterrada. Na primavera dou noticias sobre este "parto"!!
Abraço

redonda disse...

Estou a descobrir o blog e hoje vim até aqui. Gostei muito das árvores nas fotografias e dos textos.

Anónimo disse...

intiresno muito, obrigado