terça-feira, setembro 22, 2009

...



Árvore plantada, em escola norte-americana, em memória de professor falecido no início do ano. Há notícias que mexem connosco...

(Do Twitter da Árvores de Portugal.)

9 comentários:

Rui Peixeiro disse...

Olá Pedro,

Este ano eu e a minha namorada decidimos que vamos recolher e germinar lá por casa alguns carvalhos e castanheiros (ou outras árvores autóctones da Serra da Estrela).
Já arranjamos uns 20 vasos pequenos e algumas caixas quadradas (daquelas das sementes, com vários buracos), mas não sabemos ao certo o que apanhar e principalmente, quando o fazer? É agora no outono que temos de ir às blotas e castanhas, certo?

Podes criar um post com umas dicas para quem quiser seguir o exemplo?

Abraço.

cercaldaeira disse...

Caro Rui,

vou-me antecipar ao Pedro - que certamente terá muito para acrescentar - e sugerir que dês uma vista de olhos ao site Criar Bosques em http://criarbosques.wordpress.com/

Bom trabalho!

Rui Pedro Lérias

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Olá Rui Pedro,

Obrigado pela sugestão de visita.


Abraço.



Olá Rui,

As bolotas devem ser recolhidas agora (Outubro/Novembro)e devem ser colocados logo nos vasos, porque perdem rapidamente a capacidade de germinar. Tem apenas o cuidade de verificar se as bolotas estão furadas por alguma picada de insecto (são bem visíveis); neste caso não irão germinar.


De resto, aconselho apenas o cuidado para evitar o encharcamento frequente da terra, como forma de evitar o apodrecimento das bolotas e castanhas.

Tens que ter a consciência que, mesmo respeitando todos os cuidados, não conseguirás que todas as castanhas e bolotas germinem.

Se quiseres ser um pouco mais preciosista, não te esqueças que, em princípio, as melhores árvores geram melhores descendências.

Boas sementeiras.

Abraço.

Rui Peixeiro disse...

Olá Pedro,

Obrigado pelos concelhos. Era isso que queria ouvir...

As castanhas e bolotas, apanham-se do chão ou directamente da árvore?

Já agora, há algum sitio por aqui na serra (perto da Covilhã), onde possa apanhar bolotas do carvalho negral (penso que é assim que se chama o carvalho autóctone da região)?

E mais uma dica... Se os vasos tiverem buracos em baixo para sair o excesso de água, é o suficiente para ficarem ao "relento"? É que a sementeira vai ser feita num quintal onde não há nada que proteja das chuvas do inverno.

Abraço.

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Olá Rui,

Os buracos podem não ser suficientes para drenar toda a água que se acumule na terra dos vasos, mas é a única solução que estou a ver para minimizar o problema. Mas se os vasos não tiverem qualquer orifício será bem pior, claro.

O carvalho característico do norte do concelho é o negral; embora o sobreiro também surja, nomeadamente na zona do Tortosendo. Na encosta da Covilhã, nomeadamente entre o Parque do Pião e a Varanda dos Carquejais, também aparece o carvalho-alvarinho.

Na cidade tens um belo carvalho-negral junto à rotunda do Hotel de Santa Eufêmia e no Parque Alexandre Aibéo há alguns alvarinhos. Repara que o negral é muito fácil de distinguir do alvarinho, pois as folhas têm aquele toque "aveludado" resultante dos inúmeros "pêlos" na página inferior das mesmas.

Isto é importante porque estes dois carvalhos (o negral e o alvarinho) convivem na encosta da Covilhã e na vertente Norte da Gardunha, por exemplo.

De resto, na região existem alguns povoamentos de negral, por exemplo:
- terrenos circundantes da A23, entre os nós da Covilhã Norte e Caria.
- na encosta entre o Teixoso e a Vila do Carvalho.
- na encosta da Serra da Esperança (Belmonte), na vertente Oeste (do lado da pousada, ou seja, virada para o Zêzere).


O problema é que muitos destes terrenos são particulares.



Mais informações nestes textos:
http://sombra-verde.blogspot.com/2007/09/como-distinguir-os-carvalhos-entre-si.html

e

http://sombra-verde.blogspot.com/2007/10/como-distinguir-as-bolotas-de-alguns.html

Abraço.

P.S. - O José Amoreira, do "Cântaro Zangado", conseguiu fazer germinar, em casa dele, perto de uma centena de carvalhos. Pede-lhe ajuda, tem mais "know-how" do que eu no que toca a estas coisas!...

P.S.S. - Podes recolher as bolotas directamente do solo. Rejeita as "furadas" ou as que te pareçam ocas, ou seja, mais leves que as restantes.

Rui Pedro Lérias disse...

Cuidado com os vasos que se usam para germinar carvalhos e ao tempo que permaneçam neles. Os carvalhos desenvolvem uma raíz aprumada principal muito comprida e importante (daí ser difícil transplantá-los).

Por vezes, a raíz cresce em redor do limite do vaso e depois do transplante a árvore não irá vingar. Idealmente, devem-se usar covetes com barreiras internas laterais, para impedir as raizes de crescerem dessa forma, ou simplesmente não deixar as bolotas germinadas muito tempo em vasos.

Fica a sugestão.

Isabel Santos disse...

Olá Pedro!
É bom saber que em algumas escolas os professores são lembrados desta forma tão especial.
Obrigada pelas palavras deixadas no meu blog, fico feliz que tenhas gostado.
Fica bem.
Isabel

Rui Peixeiro disse...

No fim de semana passado, fui apanhar bolotas e castanhas (estas para a namorada comer, que eu não gosto!).

Ainda consegui apanhar cerca de 1.3Kg de bolotas do Carvalho Negral. Lá em casa plantamos cerca de 40 entre os vasos que arranjamos e as covetes de sementes.
As restantes bolotas, fomos plantar perto das Penhas da Saúde. Não sabemos se foi boa escolha a zona ou não, mas é tão "despida"...

Já andamos a engenhar uma forma de fazer um pequeno telheiro com plástico para não apanharem chuva.

Acho que só nos falta saber como devemos fazer a rega. Todos os dias, dia sim dia não, uma vez por semana?

Vamos lá ver, como resulta este ano a sementeira. Se correr bem, para o ano duplicamos a área e a variedade de espécies! Temos como objectivo daqui a trinta anos poder levar os filhos à serra e poder dizer: "aquele pequeno bosque ali fomos nós que o plantamos!"

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Olá Rui,

Eh pá, isso de não gostares de castanhas, eh eh!...

A rega deve ser mínima, apenas para manter a terra humedecida; portanto, a periodicidade da rega dependerá das condições climatéricas. Se tivermos um Outono/Inverno, embora não pareça que assim venha a ser, com aquelas sequências de dias seguidos de chuva, a própria humidade atmosférica reduzirá quase a zero a evaporação dos vasos.

Em relação às Penhas da Saúde, a escolha foi boa. O carvalho-negral, na Serra da Estrela, aguenta até aos 1700 m.
Na estrada para a Torre, do lado direito no sentido ascendente, há alguns exemplares antes do túnel.


O meu sonho é um pouco esse, ajudar a criar um bosque, agora que também vou ser pai.
Gostava muito de reunir uma dezena de pessoas na Covilhã e arredores com esta vontade e fazer isto a uma escala maior, e todos os anos, nomeadamente na encosta da Serra que vira para a nossa cidade.

Abraço.