terça-feira, abril 27, 2010

Herói involuntário por amor às árvores



Carlos Alberto Dayrell foi nomeado Cidadão Honorário de Porto Alegre. Trinta e cinco anos depois, foi reconhecido o valor de quem salvou uma árvore de um abate desnecessário, numa altura em que, no Brasil, impedir o corte de árvores era crime contra a segurança nacional.

Trinta e cinco anos depois, a árvore, uma tipuana, permanece de pé, tal como permanece a necessidade urgente de, com coragem, defender as árvores, no Brasil, como por cá, de abates incompreensíveis e podas mutiladoras.




P.S. - Em Porto Alegre, o exemplo de Carlos Alberto Dayrell não foi em vão e, de certeza, terá sido uma forte inspiração para os moradores da Rua Gonçalo de Carvalho.

6 comentários:

as-nunes disse...

Vou enviar este post para o Presidente do Conselho Directivo da Escola Secundária Domingos Sequeira em Leiria para que possam pensar um bocadinho na barbárie que foi o terem abatido, pura e simplesmente, um líndíssimo e raro espécime de um eucalipto-de-flor-vermelha para utilizarem o espaço para edificarem novos edifícios escolares.
Mesmo para esse efeito podia e devia ter sido feito uma transplantação daquela árvore.
Lamentável. Ainda falei com duas arquitectas que orientavam os trabalhos mas foi-me dito que a possibilidade de tal operação ainda foi aventada mas "outros" valores mais "eurados" logo se levantaram.

Uma pena.
Aqui fica um link dum post sobre essa árvore. Depois, digam-me se valia ou não a pena tentar salvá-la da ignomínia do seu abate cobarde.

http://dispersamente.blogspot.com/2007/07/ecalipto-de-flor-vermelha.html

António Nunes

Anónimo disse...

Há semanas a ouvir moto-serras e a ver o verde a desaparecer à minha volta ... quem me dera morar perto dessa RUA !
sintrense

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Caro António,

Sobre as pretensas requalificações das nossas escolas, basta ler o que se passou num liceu de Oeiras onde, em nome de uma anunciada "modernidade", se abateram mais de 100 árvores saudáveis:

http://sombra-verde.blogspot.com/2009/11/arboricidio-em-oeiras.html

P.S. - O eucalipto parecia-me perfeitamente transplantável. Faltou apenas a vontade...Se fosse para outra coisa mais fútil, não faltariam euros!

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Cara Sintrense,

Morar numa rua como essa é o sonho de qualquer pessoa que ama as árvores e se preocupa com a qualidade de vida nas nossas cidades.

Talvez um dia seja possível vermos ruas, como estas, no nosso país que tanto teme as sombras e a beleza das árvores.

Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho disse...

Amigo Pedro,

Certamente o ato de Dayrell foi inspiração para todos nós e esperamos que inspire muitos outros a, ao menos, tentarem impedir a derrubada das árvores.

Abraço

Cesar

Anónimo disse...

URGENTE:
SINTRA
Hoje a R. Francisco dos Santos (Rampa do Morais) acordou com árvores marcadas para levar o mesmo tratamento da R.D.João de Castro !!!