segunda-feira, dezembro 21, 2009

Ver a beleza onde outros apenas vêem uma árvore velha

Uma das melhores surpresas, senão mesmo a maior, resultante da criação deste blogue foi a descoberta de outras pessoas que comigo partilham o amor pelas árvores.

Foi assim, uma vez mais, com o leitor Sérgio Moreira da aldeia de Lanheses, entre Ponte de Lima e Viana do Castelo. O amor com que fala das suas árvores só pode ser compreendido por quem sente sentimento igual.


Uma das árvores que marca a vida do Sérgio, e da sua família, é a laranjeira centenária visível na imagem que se segue. Uma árvore que data do tempo dos seus bisavós!






Uma laranjeira centenária faz-nos pensar sobre a longevidade de muitas árvores de fruto e de como temos tendência a desvalorizar a sua beleza, face aos espécimes ornamentais, e bem como sobre a capacidade de resistência destas árvores face às adversidades naturais e às podas a que as sujeitamos.

É fácil emocionarmo-nos perante uma tília centenária, mas quantos de nós compreenderão a beleza que uma velha árvore de fruto encerra em si? O Sérgio Moreira e a família compreendem essa beleza e esta laranjeira, estou certo, tem para eles o valor de uma alameda de tílias.

6 comentários:

Sérgio disse...

Para nós tem o valor, quem sabe, de uma amazónia ( mesmo que num sentido hiperbolizado )!!! Pena as árvores não falarem, pois esta que nos é muito querida teria muito, muito, mas mesmo muito que contar. As gerações que viu crescer e mesmo desaparecer!!! Muito obrigado por postar. Sérgio Moreira

Nelson Lima disse...

Caros amigos,
Para além das histórias que possa conter, esta árvore tem também a grandiosidade de, possivelmente, ter já tirado a sede ou a fome a muita gente.
É uma pena que não se usem mais espécies fruteiras para fins ornamentais, até porque normalmente têm crescimentos inferiores, adaptando-se quase na perfeição aos estreitos passeios e arruamentos das nossas cidades.

Patudos disse...

Pedro
Passei para desejar um Feliz e Santo Natal e que o comportamento dos Homens mude para melhor, pois tem deixado muito a desejar, não é amigo, sobretudo no que toca às nossas àrvores tantas vezes sacrificadas sem razão aparente.
bjos natalinos
Ana Paula

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Sérgio,

Na época especial do ano em que vivemos era bom que todas as famílias pudessem partilhar, para lá de bens materiais, esse sentimento de amor ao que é vivo, como as árvores...

Nelson,

Apesar de tudo há algumas excepções, nomeadamente as laranjeiras tão comuns nos aglomerados urbanos no Alentejo e, curiosamente, igualmente presentes a Norte (em Braga, por exemplo).

Abraço.


Olá Ana,

Agradeço e retribuo os votos de Boas Festas. Um abraço.

as-nunes disse...

Fantástico! é tão gratificante saber que há mais pessoas a amar as árvores, a sentir o seu pulsar de vida, a aprender o saber feito de experiência, de muitas árvores.
Quantas vezes tratadas como se não fossem parte integrante do Cosmos, tal como o próprio Homem.

Bom Natal, Pedro.
Extensivo a todos os que por aqui passam, claro.

António

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Caro António,

Boas Festas e um Ano Novo com muitas árvores para admirar!

Abraço.