terça-feira, maio 12, 2009

Árvores de Portugal - O início de uma aventura (II)


A "Árvores de Portugal" não nasceu contra ninguém, mesmo contra os que insistem em maltratar as árvores. Nasceu a favor das árvores e dos que as protegem.

A nossa acção procurará ser sempre pedagógica, valorizando aspectos e exemplos positivos de defesa e valorização da árvore. Mas desenganem-se os que vislumbram aqui uma menor vontade de denunciar os atropelos cometidos contra as mesmas no nosso país.

O nascimento desta associação surge na sequência de se ter constatado que a Sociedade Portuguesa de Arboricultura (SPA) chegou, infelizmente, ao fim do seu trajecto.

Tal não significa que nos assumamos como herdeiros da SPA ou que queiramos prosseguir o trabalho que esta vinha desempenhando, nos exactos moldes. Significa apenas que, tendo-se constatado da inviabilidade de desenvolver certos projectos no seio da SPA, não restava outra alternativa senão criar uma nova estrutura de defesa do património arbóreo nacional.



Desta forma, concluiu-se que é necessário existir uma voz própria de defesa da árvore, não apenas do seu papel na cidade, mas também da sua importância no equilíbrio de diversos tipos de ecossistemas naturais.

Tal constatação não invalida o reconhecimento do valoroso papel que muitas associações ambientalistas têm desempenhado nesta tarefa.
E refiro-me não apenas a associações de âmbito nacional, como a Quercus, mas também a organizações de âmbito regional. Cito apenas 3 exemplos:

- Os Amigos da Serra da Estrela e a campanha "Um milhão de carvalhos para a Serra da Estrela";
- A Almargem e o seu trabalho "Vamos conhecer as árvores monumentais do concelho de Loulé";
- A Associação Transumância e Natureza e o concurso "Em busca da maior árvore" do distrito da Guarda.


Servem estes exemplos para sublinhar que o surgimento de uma associação específica para proteger a árvore, não significa que queiramos o exclusivo da sua defesa.

Pelo contrário, procuraremos trabalhar em conjunto com todas as organizações que partilhem connosco os objectivos enunciados de promoção e defesa do património arbóreo de Portugal.

Esta vontade de trabalhar em parceria estende-se às associações existentes, bem como a outras que possam surgir entretanto, como a já anunciada Associação Portuguesa de Arboricultura Moderna.


Esta é uma tarefa que precisa da ajuda de todos. É altura de dar a cara...


3 comentários:

ljma disse...

Obrigado pela referência aos Amigos da Serra da Estrela e ao "Milhão de carvalhos".

Creio que posso falar pela ASE quando desejo as maiores felicidades e sucessos à Árvores de Portugal.

Tentaremos marcar presença no seminário do Sabugal, isso está dependente apenas da disponibilidade (profissional, pessoal, familiar...) do pessoal, não da vontade de, ou do interesse em, participar.

Abraço
José Amoreira

Pedro Nuno Teixeira Santos disse...

Será uma honra contar com a vossa presença. Obrigado pela vossa disponibilidade.

Abraço.

O TEIXO disse...

Para visualizar o meu comentário, peço que entre no Blog Arboricultura Moderna (http://arboriculturamoderna.blogspot.com/2009/05/associacao-arvores-de-portugal.html), pois não dispôs de caracteres suficientes para escrever o que pretendia.

Cumprimentos

Paulo Moura