sábado, dezembro 10, 2011

A tragédia do Redondo


Mais um episódio de ignorância, com algum ódio à mistura. Desta vez no Redondo, perante o olhar complacente de alguns moradores, condenados, agora, a conviver com estes seres deformados.
Uma manhã de trabalho, cerca de dez funcionários, dois tratores e uma empilhadora telescópica.
Mangas arregaçadas, ambiente divertido, bom trabalho, agora é que não cai mais nenhum ramo, não tarda estão viçosas, a rebentar cheias de força, com imensas folhinhas verdes. Porreiro, pá. -
Vasco Soeiro

1 comentário:

NUNO MIGUEL CARVALHO disse...

Esses indivíduos é que deveriam ser obrigados a emigrar de Portugal. É preciso avançar com a responsabilidade criminal destes actos.