quarta-feira, janeiro 27, 2010

Querem cortar parte das minhas memórias

Querem deitar abaixo uma pseudotsuga situada na minha rua, na Covilhã. Ao fim destes anos todos, alguém, porque se trata apenas de uma pessoa, decidiu implicar com ela.

Porquê? Pela razão mais estúpida pela qual se pode implicar com uma árvore: porque dá sombra! Onde já se viu, o desplante da árvore que insiste em dar sombra! E logo nas traseiras do prédio em causa, castigado pela canícula das tardes de Verão...



Na rua, há pessoas que vão lutar para o impedir. Há quem não se conforme em perder a sua sombra e vê-la reduzida a uma memória do passado.

Há quem vá lutar para que esta pseudotsuga possa ter direito a um futuro partilhado com quem a estima e dela não quer abdicar.



Para mim, sem a presença da sua visão, da minha varanda, a minha rua seria menos...Seria uma rua incompleta.


5 comentários:

horticasa disse...

Olá Pedro!
Estou consigo, também não aceito que se deite abaixo uma arvore que levou tantos anos para crescer, e que linda que ela está.
eugenia
hoticasa.blogspot.com

as-nunes disse...

PEDRO!

Não desista dessa luta! Quanta brutalidade anda por aí! Depois vêm queixar-se do calor que lhes vai estorricar a casa!

As árvores, particularmente as citadinas são de preservar a todo o custo, quem pode duvidar?

Lembra-se, Pedro, daquela situação, aqui em Leiria, quando queriam cortar dois choupos no Largo Cóbego Maia, só porque apareceu um projectista "maluco" (só podia ser) a decretar a sua morte e substituição por acers. Que se coadunavam mais com o "boneco" que fizeram para aquele Largo.

Fiz para aqui uma algazarra que consegui convencer a que no projecto final também lá ficassem os dois choupos!
E então não acontece que o Largo Cónego Maia está mesmo bonito? Combinado o tal "boneco" com os dois choupos, nigrus populus!

Um grande abraço.
E haja senso!

António

greentea disse...

aqui em Sintra - S. Pedro tb as andam a deitar abaixo , com a desculpa de que estavam doentes ...

depois fica apenas o betão ... e o sol a esturrar as casas e a falta de oxigénio

Patudos do Paúl disse...

Olá Pedro
Fui visitar o maior sobreiro aqui da minha terra...
algumas imagens
abraço
Ana Paula

Rui Valdemar disse...

O que podemos fazer para ajudar?
ruivaldemar.blogspot.com